Início / Atividades / Entrevista ao CEO da pplware – Vitor Martins

Entrevista ao CEO da pplware – Vitor Martins

Ver Artigo

Entrevista ao CEO da pplware - Vitor Martins

bannernews

Intro­dução

Esta entre­vista foi real­izada a 26 de janeiro de 2016. O entre­vis­tado foi o sen­hor Vítor Mar­tins, respon­sável pelo pro­jeto “PPLWARE No Com­ments” um dos mel­hores e maiores sites de tec­nolo­gia por­tuguês. O sen­hor Vítor foi con­tac­tado por mim, através do Face­book, pois nunca tín­hamos fal­ado e este, logo de ime­di­ato, se tornou disponível para respon­der às min­has questões. Esta pes­soa foi escol­hida por causa do meu gosto por tec­nolo­gia e tam­bém pelo facto do mesmo ser pro­pri­etário do maior site por­tuguês. Posso dizer que foi min­i­ma­mente sur­preen­dente o entre­vis­tado ter aceitado respon­der ao ques­tionário, pois como nunca tín­hamos comu­ni­cado e, dev­ido a ser o admin­istrador do pro­jeto, pen­sei que estivesse demasi­ado ocu­pado para respon­der. O mesmo não aconteceu.

  1. Qual o seu nome completo?

R: Vítor Manuel Mor­eira Martins

  1. Como começou o pro­jeto “PEO­PLE­WARE no com­ments” e em que consiste?

R: O pro­jeto Peo­ple­ware No Com­ments, tal e qual como está na per­gunta, começou em 1993, ainda era eu estu­dante do secundário e tinha uma página num jor­nal local, o Entre Mar­gens (jor­nal men­sal a preto e branco) onde eu sug­eri na altura ao dire­tor ter uma página sobre infor­mática para iniciantes.

Assim, naquele tempo, pode­ria ensi­nar alguns assun­tos da tec­nolo­gia ainda nos iní­cios a quem neces­si­tasse. Era o tempo do MS DOS e do iní­cio do Win­dows. Por isso, se chamou PEO­PLE­WARE (que é o ter­ceiro e o mais impor­tante pilar na estru­tura infor­mática, é quem gere o HARD­WARE com o SOFT­WARE, isto é, nós utilizadores)

Depois, em 2004, escrevi alguns arti­gos para o suple­mento “bites&bytes” do 24 horas e JN.

O site em si começou em 18 de abril de 2005… mas o cam­inho já havia sido trilhado!

  1. Quanto tempo despende por dia com o seu projeto?

R: Atual­mente o PPLWARE​.COM é o maior site de tec­nolo­gia de Por­tu­gal com 4 mil­hões de vis­i­tas mês e cerca de 12 mil­hões de pági­nas vis­tas men­salmente. Exige de mim e da minha equipa muitas horas de tra­balho e atenção. Todos os dias dedico cerca de 12 a 14 horas ao projeto.

  1. Alguma vez deixou de estar com a família para estar ded­i­cado ao projeto?

R: Muitas vezes. Este pro­jeto obrigou desde sem­pre a sac­ri­fí­cios, escol­has, ded­i­cação naquilo que acred­i­ta­mos. Perseguir son­hos nem sem­pre é um mar calmo e este nunca o foi. Ainda hoje, e já lá vão 11 anos desde a for­mação do PPLWARE​.COM, há momen­tos de escolha, onde a família tem de ir para um sítio e eu para a frente do com­puta­dor… ou ir de férias e o com­puta­dor ser a com­pan­hia do dia-​a-​dia. Mas os fru­tos depois são col­hi­dos por todos, o bem-​estar da família esteve sem­pre no hor­i­zonte quando o pro­jeto foi sonhado.

  1. Para além da admin­is­tração do pro­jeto PPLWARE, desem­penha alguma outra função no seu dia a dia?

R: Atual­mente não. Desde há 3 anos para cá dedico exclu­si­va­mente o meu tempo ao pro­jeto. Con­tudo, quando o pro­jeto começou e porque durante muitos anos o pro­jeto não tinha qual­quer suporte finan­ceiro próprio, fui respon­sável de sis­temas numa empresa de dis­tribuição ali­men­tar, tra­bal­hei 18 anos nessa empresa, onde me per­mi­tiu desen­volver várias capaci­dades ao nível profis­sional, con­hecer o mer­cado tec­nológico, as difi­cul­dades empre­sari­ais e isso foi que fomen­tou a forma como a dis­ci­plina era imple­men­tada no PPLWARE em ter­mos edi­to­ri­ais. Parece ter resultado.

  1. Gosta da forma de como está o pro­jeto hoje em dia?

R: Gosto. Quem não gosta do sucesso? Con­tudo, sou muito exi­gente com o PPLWARE. Por isso, o pplware​.com não é só um site. Cresceu e hoje tem sob sua alçada vários out­ros projetos.

Temos o forum​.pplware​.com, o kids​.pplware​.com, o usa​dos​.pplware​.sapo​.pt, o empre​sashoje​.pt, temos uma empresa de Web design, temos um depar­ta­mento de estru­turas que dá suporte e manutenção téc­nica a empre­sas (redes, sis­tema oper­a­tivos, comu­ni­cações, soft­ware, etc.). Mas este ano vamos dar mais um salto e apre­sen­tar mais um grande pro­jeto, que em breve estará a público.

  1. Nor­mal­mente o feed­back das pes­soas que recebem é bom ou mau?

R: Muito bom. O maior feed­back que podemos rece­ber são as vis­i­tas. Se cresce­mos todos os anos e hoje temos a dimen­são que temos é um feed­back muito pos­i­tivo e se temos uma comu­nidade nos Açores que nos con­vida para par­tic­i­par num evento de tec­nolo­gia e uma escola que nos con­vida para respon­der a algu­mas questões, isso é do mel­hor feed­back que podemos ter.

Críti­cas? Haverá sem­pre, temos de viver com elas, con­tudo, temos de saber tratar delas e saber de onde elas chegam e porque razão elas chegam, até porque este meio tec­nológico é muito com­pet­i­tivo e estão em causa por vezes empre­sas e gru­pos gigantes que desa­pare­cem porque empre­sas e pro­je­tos como o pplware​.com os arredou da som­bra da bananeira. Nunca deixare­mos de respeitar uma crítica (boa ou má) temos sem­pre é que saber a razão dessa crítica para a arqui­var no sítio certo.

  1. Com o pas­sar dos anos o cresci­mento do pro­jeto é constante?

R: Tem sido sim. Numa análise global, desde 2005 ano da fun­dação do pro­jeto, anual­mente há uma tendên­cia de cresci­mento na ordem dos 21%, con­tudo, o salto de 2014 para 2015 foi maior, em 2015 o PPLWARE cresceu cerca de 30%, um cresci­mento muito acen­tu­ado. Este ano a fasquia está muito alta.

  1. Há evoluções e novi­dades no pro­jeto para breve?

R: Sim, como referi haverá um pro­jeto novo, muito inter­es­sante, forte, uma aquisição que o pplware​.com fez e que será lig­ada à área TI. Tam­bém haverá novos Tem­plates para o Kids e umas novi­dades mais comerciais.

  1. Como faz a seleção dos ele­men­tos da sua equipa?

R: Este é um ponto muito impor­tante. Ao longo dos anos o cresci­mento deveu-​se muito ao empenho dos colab­o­radores. Cada edi­tor trouxe um cunho próprio ao pro­jeto e por sua vez o pro­jeto mar­cou cada pes­soa. Deu-​lhes cur­ricu­lum, exper­iên­cia e con­hec­i­men­tos no mundo empresarial.

Escolho pes­soas dinâmi­cas, que perce­bam de tec­nolo­gias e sejam apaixon­adas pela tec­nolo­gia. Não nos inter­essa alguém que escreva bem, mas não domine a tec­nolo­gia, que não saiba usar e descr­ever o que usou com palavras sim­ples. Quer­e­mos que as pes­soas gostem de usar a tec­nolo­gia para poderem par­til­har esse conhecimento.

Temos colab­o­radores que quando entraram para o PPLWARE eram estu­dantes, hoje tra­bal­ham na Crit­i­cal Soft­ware, na Nova Base, na EFACEC, na E-​GOI, na MAPFRE, entre out­ras. Não foi por causa do PPLWARE que lá entraram, foi pelas suas com­petên­cias, mas o facto de terem algo mais que um sim­ples curso supe­rior, destacou-​os no meio de dezenas ou cen­te­nas que se can­di­dataram ao mesmo lugar.

  1. Quais são as suas ambições para o futuro?

R: São ambições fortes, de cresci­mento, para colo­car mais ainda no panorama nacional o nosso nome em destaque, den­tro da infor­mação tec­nológ­ica, assim como no panorama mundial.

Quer­e­mos expandir-​nos para África, onde temos muitos vis­i­tantes e quem sabe, um dia poder esta­b­ele­cer no Brasil um serviço, cerca de 20% nas vis­i­tas que recebe­mos chegam-​nos do Brasil, há uma forte comu­nidade que nos segue com muita atenção do outro lado do atlântico.

Há out­ras ambições legí­ti­mas, mas temos de ter os pés bem assentes na terra, até porque o nosso país é um ter­reno incon­stante que não dá segu­rança para arriscar nada. Ape­nas temos de con­tar connosco.

Em jeito de agradec­i­mento, espero que estas sejam respostas úteis para perce­berem mais sobre o nosso pro­jeto. Esta­mos sem­pre aber­tos a sug­estões e sem­pre que queiram par­tic­i­par no nosso site, têm as por­tas abertas. “

vitor.​martins@​pplware.​com

Con­clusão

398413_4607896917108_867944663_nTendo em conta a entre­vista, posso dizer que a per­gunta que mais me sur­preen­deu foi o facto de muitas vezes o entre­vis­tado deixar de estar com a sua família para se dedicar exclu­si­va­mente ao site. Tam­bém posso dizer que foi extrema­mente bom para mim ter feito esta entre­vista, pois desco­bri coisas que nem eu sabia. Coisas essas que se baseiam nos vários ramos do Pplware. O entre­vis­tado mostrou-​se inter­es­sado e muito coop­er­a­tivo desde o ini­cio. Foi extrema­mente edu­cado e autor­i­zou a pub­li­cação desta mesma entre­vista. Segue abaixo um pequeno texto feito pelo próprio Vítor Martins.

Diogo Silva

Curso Téc­nico de Manutenção Industrial/​Mecatrónica Automóvel

1.º Ano

bannernews

Introdução

Esta entrevista foi realizada a 26 de janeiro de 2016. O entrevistado foi o senhor Vítor Martins, responsável pelo projeto “PPLWARE No Comments” um dos melhores e maiores sites de tecnologia português. O senhor Vítor foi contactado por mim, através do Facebook, pois nunca tínhamos falado e este, logo de imediato, se tornou disponível para responder às minhas questões. Esta pessoa foi escolhida por causa do meu gosto por tecnologia e também pelo facto do mesmo ser proprietário do maior site português. Posso dizer que foi minimamente surpreendente o entrevistado ter aceitado responder ao questionário, pois como nunca tínhamos comunicado e, devido a ser o administrador do projeto, pensei que estivesse demasiado ocupado para responder. O mesmo não aconteceu.

  1. Qual o seu nome completo?

R: Vítor Manuel Moreira Martins

  1. Como começou o projeto “PEOPLEWARE no comments” e em que consiste?

R: O projeto Peopleware No Comments, tal e qual como está na pergunta, começou em 1993, ainda era eu estudante do secundário e tinha uma página num jornal local, o Entre Margens (jornal mensal a preto e branco) onde eu sugeri na altura ao diretor ter uma página sobre informática para iniciantes.

Assim, naquele tempo, poderia ensinar alguns assuntos da tecnologia ainda nos inícios a quem necessitasse. Era o tempo do MS DOS e do início do Windows. Por isso, se chamou PEOPLEWARE (que é o terceiro e o mais importante pilar na estrutura informática, é quem gere o HARDWARE com o SOFTWARE, isto é, nós utilizadores)

Depois, em 2004, escrevi alguns artigos para o suplemento “bites&bytes” do 24 horas e JN.

O site em si começou em 18 de abril de 2005… mas o caminho já havia sido trilhado!

  1. Quanto tempo despende por dia com o seu projeto?

R: Atualmente o PPLWARE.COM é o maior site de tecnologia de Portugal com 4 milhões de visitas mês e cerca de 12 milhões de páginas vistas mensalmente. Exige de mim e da minha equipa muitas horas de trabalho e atenção. Todos os dias dedico cerca de 12 a 14 horas ao projeto.

  1. Alguma vez deixou de estar com a família para estar dedicado ao projeto?

R: Muitas vezes. Este projeto obrigou desde sempre a sacrifícios, escolhas, dedicação naquilo que acreditamos. Perseguir sonhos nem sempre é um mar calmo e este nunca o foi. Ainda hoje, e já lá vão 11 anos desde a formação do PPLWARE.COM, há momentos de escolha, onde a família tem de ir para um sítio e eu para a frente do computador… ou ir de férias e o computador ser a companhia do dia-a-dia. Mas os frutos depois são colhidos por todos, o bem-estar da família esteve sempre no horizonte quando o projeto foi sonhado.

  1. Para além da administração do projeto PPLWARE, desempenha alguma outra função no seu dia a dia?

R: Atualmente não. Desde há 3 anos para cá dedico exclusivamente o meu tempo ao projeto. Contudo, quando o projeto começou e porque durante muitos anos o projeto não tinha qualquer suporte financeiro próprio, fui responsável de sistemas numa empresa de distribuição alimentar, trabalhei 18 anos nessa empresa, onde me permitiu desenvolver várias capacidades ao nível profissional, conhecer o mercado tecnológico, as dificuldades empresariais e isso foi que fomentou a forma como a disciplina era implementada no PPLWARE em termos editoriais. Parece ter resultado.

  1. Gosta da forma de como está o projeto hoje em dia?

R: Gosto. Quem não gosta do sucesso? Contudo, sou muito exigente com o PPLWARE. Por isso, o pplware.com não é só um site. Cresceu e hoje tem sob sua alçada vários outros projetos.

Temos o forum.pplware.com, o kids.pplware.com, o usados.pplware.sapo.pt, o empresashoje.pt, temos uma empresa de Web design, temos um departamento de estruturas que dá suporte e manutenção técnica a empresas (redes, sistema operativos, comunicações, software, etc.). Mas este ano vamos dar mais um salto e apresentar mais um grande projeto, que em breve estará a público.

  1. Normalmente o feedback das pessoas que recebem é bom ou mau?

R: Muito bom. O maior feedback que podemos receber são as visitas. Se crescemos todos os anos e hoje temos a dimensão que temos é um feedback muito positivo e se temos uma comunidade nos Açores que nos convida para participar num evento de tecnologia e uma escola que nos convida para responder a algumas questões, isso é do melhor feedback que podemos ter.

Críticas? Haverá sempre, temos de viver com elas, contudo, temos de saber tratar delas e saber de onde elas chegam e porque razão elas chegam, até porque este meio tecnológico é muito competitivo e estão em causa por vezes empresas e grupos gigantes que desaparecem porque empresas e projetos como o pplware.com os arredou da sombra da bananeira. Nunca deixaremos de respeitar uma crítica (boa ou má) temos sempre é que saber a razão dessa crítica para a arquivar no sítio certo.

  1. Com o passar dos anos o crescimento do projeto é constante?

R: Tem sido sim. Numa análise global, desde 2005 ano da fundação do projeto, anualmente há uma tendência de crescimento na ordem dos 21%, contudo, o salto de 2014 para 2015 foi maior, em 2015 o PPLWARE cresceu cerca de 30%, um crescimento muito acentuado. Este ano a fasquia está muito alta.

  1. Há evoluções e novidades no projeto para breve?

R: Sim, como referi haverá um projeto novo, muito interessante, forte, uma aquisição que o pplware.com fez e que será ligada à área TI. Também haverá novos Templates para o Kids e umas novidades mais comerciais.

  1. Como faz a seleção dos elementos da sua equipa?

R: Este é um ponto muito importante. Ao longo dos anos o crescimento deveu-se muito ao empenho dos colaboradores. Cada editor trouxe um cunho próprio ao projeto e por sua vez o projeto marcou cada pessoa. Deu-lhes curriculum, experiência e conhecimentos no mundo empresarial.

Escolho pessoas dinâmicas, que percebam de tecnologias e sejam apaixonadas pela tecnologia. Não nos interessa alguém que escreva bem, mas não domine a tecnologia, que não saiba usar e descrever o que usou com palavras simples. Queremos que as pessoas gostem de usar a tecnologia para poderem partilhar esse conhecimento.

Temos colaboradores que quando entraram para o PPLWARE eram estudantes, hoje trabalham na Critical Software, na Nova Base, na EFACEC, na E-GOI, na MAPFRE, entre outras. Não foi por causa do PPLWARE que lá entraram, foi pelas suas competências, mas o facto de terem algo mais que um simples curso superior, destacou-os no meio de dezenas ou centenas que se candidataram ao mesmo lugar.

  1. Quais são as suas ambições para o futuro?

R: São ambições fortes, de crescimento, para colocar mais ainda no panorama nacional o nosso nome em destaque, dentro da informação tecnológica, assim como no panorama mundial.

Queremos expandir-nos para África, onde temos muitos visitantes e quem sabe, um dia poder estabelecer no Brasil um serviço, cerca de 20% nas visitas que recebemos chegam-nos do Brasil, há uma forte comunidade que nos segue com muita atenção do outro lado do atlântico.

Há outras ambições legítimas, mas temos de ter os pés bem assentes na terra, até porque o nosso país é um terreno inconstante que não dá segurança para arriscar nada. Apenas temos de contar connosco.

“Em jeito de agradecimento, espero que estas sejam respostas úteis para perceberem mais sobre o nosso projeto. Estamos sempre abertos a sugestões e sempre que queiram participar no nosso site, têm as portas abertas. “

vitor.martins@pplware.com

Conclusão

398413_4607896917108_867944663_nTendo em conta a entrevista, posso dizer que a pergunta que mais me surpreendeu foi o facto de muitas vezes o entrevistado deixar de estar com a sua família para se dedicar exclusivamente ao site. Também posso dizer que foi extremamente bom para mim ter feito esta entrevista, pois descobri coisas que nem eu sabia. Coisas essas que se baseiam nos vários ramos do Pplware. O entrevistado mostrou-se interessado e muito cooperativo desde o inicio. Foi extremamente educado e autorizou a publicação desta mesma entrevista. Segue abaixo um pequeno texto feito pelo próprio Vítor Martins.

Diogo Silva

Curso Técnico de Manutenção Industrial/Mecatrónica Automóvel

1.º Ano

 
 

0 Comentários

Seja o primeiro a comentar este artigo!.

 
 

Deixe um comentário